Exposição "Sombra a Filha da Luz" do Artista Marco Sanchez

?A Filha da Luz? Histórico da Técnica Sombra Sobre Tela Marco Sanchez paulistano nascido a 1959, desde a infância desenha e pinta, sempre inquieto e em busca de novas respostas para as mesmas perguntas que sempre impulsionaram os artistas a criarem. Nos últimos 10 anos Marco Sanchez esteve envolvido com a cultura indiana, fascinado pelos seus ensinamentos dedicou-se a eles por uma década, tornou-se professor de Yoga em várias modalidades, esteve por 15 vezes neste enorme país mágico e bebeu de sua multicultura. Dentre os inúmeros ensinamentos profundos que viu um dos que mais fascinaram o artista foi o fato de que somente quando uma pessoa vê sua própria sombra é capaz de expressar sua luz. Meditando sobre este sutra, ele se inspirou e criou sua própria técnica Sombra Sobre Tela juntando sua experiência como artista plástico e os ensinamentos indianos sobre a busca pela plenitude. Técnica cuja magia de suas telas reside num efeito lúdico e interativo com a percepção, induzindo à descoberta de formas ocultas somente reveladas com a presença de uma luz focada, provocando sombras intencionais devido à topografia das camadas de tinta, massa acrílica e objetos aderidos à tela. Este lúdico efeito deve provocar no expectador a reflexão sobre si mesmo e suas sombras internas. Como a inspiração foi baseada na cultura indiana o primeiro trabalho foi uma homenagem na representação do maior ícone da historia da Índia, Mahatma Gandhi e desde então vem representando personalidades iluminadas de nossa história. A técnica baseada na ideia que somente à luz da consciência observando a sombra se pode ver o que de fato somos e o que esta aí. Saber que o que chamamos de realidade nada mais é do que uma intensa ilusão gerada pelas sombras de nosso interior, por isso se diz que o mundo exterior é reflexo do mundo interior, somente vendo nossa sombra poderemos caminhar à Iluminação. Muitas vezes o material aderido a tela utilizado para gerar a sombra tem um significado de conscientização ecológica, já que se trata muitas vezes de material reciclado como plástico, alumínio, e as vezes drágeas de comprimido, sucata e outros. Trazendo também a obra o conceito da sustentabilidade reciclando e transformando com Arte. OBJETIVOS O Objetivo da técnica é primeiramente a necessidade de expressão artística do autor como que se tomado por uma inteligência à parte, uma entidade chamada Arte o usasse como ferramenta. E também como objetivo intencional trazer uma visão de crescimento e um caminho de autoconhecimento além da consciência ecológica e a sustentabilidade utilizando materiais reciclados em seus trabalhos. Como citado pela artista plástico Flavita Obino Boeckel ?A transformação de resíduos urbanos em objetos de arte ou utilitários tem por objetivo primordial acrescentar valores éticos e estéticos ao ser humano. A utilização dos resíduos mais diversificados, pela sua própria importância material e formal, facilita o agregar dos valores de sustentabilidade: 1) de reutilização de embalagens; 2) redução de consumo, e 3) reciclagem, propiciando a produção de obras a serem realizadas pela Comunidade e possibilitando geração de recursos com a venda dos objetos e produtos advindos dessa experiência. Outro objetivo da reciclagem é encontrar alternativas artísticas e utilitárias que possam substituir o emprego de materiais de demorada reposição na natureza: tal como a madeira, fartamente utilizada no mobiliário cotidiano.? Do efeito: A Filha da Luz, ?O absoluto brilho cândido cega igualmente quanto na profundeza da negrura das trevas. Somente quando sorrateiramente a sombra, como se devorasse parcialmente partículas de lúmen, ela, a Luz, e sua filha, a Sombra, se irmanam parindo o contraste dual destes opostos gerando a realidade visível. Aquele que se julga iluminado está imerso na escuridão de suas ilusórias percepções, paradoxalmente o humilde reconhecimento de sua própria sombra pode despertar a
consciência e revelar a luz. Olhe para a sombra para que se expresse o verdadeiro ver.? Marco Sanchez. A Técnica A técnica intitulada pelo autor, Filha da Luz, é baseada num conceito de escultura na luz, ou seja, são aplicadas sobre a tela ou suporte materiais que funcionam recortando o percurso da luz. Como resultado sombras propositais revelam a imagem de forma surpreendente. É quase como pintar a tela usando as sombras ao invés das tintas (sombras sobre telas). Sendo que, obviamente a presença de uma luz focada no canto da tela é fundamental para compor o trabalho inclusive desde o início da sua concepção. O material gerador das sombras varia muito, mas em geral são materiais reciclados como plástico, acrílico transparente ou alumínio recobertos de massa acrílica ou outros materiais do cotidiano. A tela pode receber também camadas de tintas e massas e há em vários trabalhos um acrílico aplicado sobre a tela a uma distância de 5 cm sobre o qual são também aplicadas cores produzindo efeitos de tridimensionalidade. Todos esses detalhes sutis são difíceis de ser captados ou percebidos através das fotografias, por isso nossa explicação da técnica. Da Instalação ?A Filha da Luz? As obras podem ser apresentadas como pintura, instalação interna e externa ou escultura. Elas podem ter também na instalação à frente 2m da obra uma torre de 1m de altura para interatividade com o observador, a luz focada inserida na obra fica apagada e o observador ao se aproximar da obra aciona o botão interruptor contido na parte superior da torre. Para ver a imagem o observador aciona o botão que enquanto estiver apertando a luz estará acesa e quando ele soltar a luz se apagará, dando assim a dimensão da transformação que a luz e sombra promovem na obra. Também pode haver um sensor de presença que acende a luz quando o observador se aproxima ou ainda ao ligar permanecer aceso até o desligar. Currículo Marco Sanchez. Artista plástico nascido em São Paulo em 14 de novembro de 1959, autodidata dedicou-se às artes desde a infância, momento em que descobriu sua arte para o Desenho e em seguida para a Pintura. Participou do Salão de Arte e ilustrações Brasil/Japão em 1982 ? sociedades Nipon do Brasil, em SP. De 1982 a 1985 trabalhou como ilustrador e cartunista de vários jornais e editoras em São Paulo. Expôs seus trabalhos na Praça da República em São Paulo de 1987 a 1990. 1991 ? participa da exposição dos artistas de Sergipe na Galeria Pública Álvaro Santos - Coletiva na galeria Jose de Dome, Aju, SE - Individual no saguão do Hipermercado G Barbosa, Aju. 1992 ? Individual no saguão da agência central do Banese, promovida pela Galeria Portinari, Aju. - Individual na Assembleia Legislativa de SE. - Coletiva na Galeria Portinari - Coletiva na Galeria Jose de Dome. - De 1993 a 2002 dedica-se à ciências das terapias holísticas, pinta eventualmente por encomenda. De 2002 a 2011 dedica-se a uma missão espiritual pelo mundo pinta eventualmente por encomenda e em 2011 volta a dedicar-se exclusivamente à pintura. Novembro de 2011 participa da exposição coletiva já como membro da ACAV, no Hotel Metropolitan em Brasília.
2012 março. Participa da exposição coletiva Dia da Mulher, na biblioteca demonstrativa de Brasília. 2012 abril. Salão de arte Ambiental, Na Arte tudo se Transforma. Premiado em 1º colocado em melhor instalação. Com a Obra Nelson Mandela. 2012 maio. Exposição - Talentos da ACAV II na galeria de exposições do Tribunal Superior de Justiça. 2012 junho ?Premio Destaque? na exposição ?Mostra Internacional o Brasil em Portugal? com a obra Madre Tereza 2012 junho - Medalha de prata com a obra Salvador Dali - Artes Plásticas e Poesias em homenagem a Pierre-Auguste Renoir 2012 junho ? Feira de Arte Contemporânea - Art Shopping ? Carroussel du Louvre.

fwB|fwR|fwR|||image-wrap|login news b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|fwR c05|news login c05 normalcase|c05|c05|content-inner||